quinta-feira, 3 de abril de 2014

[HSF] “Porém, há um caso diferente”

Pra identificar as postagens que fazem parte da grande reportagem sobre a história do samba de Florianópolis, os títulos terão a sigla com as iniciais HSF.


A história contada por Avez-vous, fundador inconteste, é a versão oficial da fundação da Copa Lord. Porém, há um detalhe descoberto enquanto se realizava esta pesquisa e nunca antes revelado. Seu Teco, contemporâneo à fundação da Copa Lord e membro da Velha Guarda da escola, lembra que 3 anos antes, em 1952, os 4 personagens da história oficial, entre outros amigos, já tinham um bloco carnavalesco com o nome de “Garotos do Ritmo”. Eles tinham seu ponto de encontro na sorveteria do Barão, no Cais Frederico Roller, local que hoje abriga o Terminal Cidade de Florianópolis. Não havia um registro oficial desta agremiação, como em boa parte das demais agremiações da época, e somente em 1955 foi registrada, com ata de fundação, estatuto, alterando o nome de Garotos do Ritmo para Copa Lord.

Copa Lord em 1958. Terceiro da esquerda pra direita, sentado: Avez-vous. Segundo Seu Mário César, da Velha Guarda da Copa Lord, possivelmente estes eram os integrantes do Garotos do Ritmo. Registro de Artur de Bem do acervo de Seu Mário César.

Segundo Avez-vous, na época da fundação da Copa Lord, era moda um bloco querer ser chamada, ou querer ser, escola de samba. Mas uma escola era definida por ter uma ala de frente, formada só por homens; uma segunda ala, só por mulheres; uma porta estandarte e seguidas alas segregadas por sexo até chegar na bateria, última ala. Já os blocos se apresentavam com uma única ala, única fantasia, com a bateria atrás. Outras agremiações misturavam as características. Mesmo assim, disputavam o mesmo título. Em 1951, por exemplo, a escola de samba Protegidos da Princesa e o bloco Os Bororós dividiram o título.

Antes da Protegidos da Princesa, e até contemporâneas, segundo Cristiana Tramonte no livro “O samba conquista passagem” (1996), havia outras agremiações (blocos ou escolas). Bloco Filhos da Lua, da Prainha; Tira a Mão, de militares; Mocotó Vem Abaixo, da família Capella; Os Motoristas se Divertem, de motoristas; Palhetinhas, de crianças; O Bando da Noite; Bloco da Base; Brinca Quem Pode, da Conselheiro Mafra; Minerva; Serpentinos; Filhos de Minerva.

Na entrevista, Avez-vous ainda lembrou que, quando foi fundada a Copa Lord, havia outras três agremiações: Escola de Samba Alvim Barbosa, do Morro do Céu, em homenagem ao pai do compositor Zininho; Unidos da Tico Tico, do Morro do Tico Tico; e o Bloco Filhos de Netuno, dos Aprendizes-Marinheiros. Juntos com a Copa Lord disputaram o título daquele ano de 1955. A Escola de Samba Alvim Barbosa era comandada por Augusto Barbosa da Fonseca, hoje com pouco mais de 90 anos, morador do Morro da Caixa.

Nenhum comentário: