sábado, 27 de março de 2010

Homenagem a Noel Rosa no Canto do Noel

Sou obrigado a falar sobre o evento desse sábado.

Foi a pior homenagem que eu já vi. Mas eu explico. Tentarei não fazer uma crítica infundada.

A começar pela aparelhagem de som. Não era compatível com o tamanho do evento. Era necessário uma aparelhagem melhor, que comportasse mais canal e mais uma caixa de som, pelo menos, e melhor.
Faltaram músicos para preencher instrumentos. Também faltaram instrumentos. Tinha cavaco, violão de 7 cordas, surdo, bandolim (não ligado na caixa de som), pandeiro e trombone.
Me pergunto onde estavam a cuíca, os tamborins, o agogô, o reco, o 6 cordas, ..... ??

O samba começou e não houve nenhuma menção ao evento.
Repertório pequeníssimo e banal. Nada de novo sobre o Noel Rosa. E mal instrumentado.
Custa estudar um pouquinho? Estudar um repertório diferente, forma de executar determinadas músicas? É uma homenagem pro cara. Tá certo que o Noel era um bagunçeiro de marca maior, mas o samba não precisava ser bagunçado.
Tava um desânimo só.

Eis que surge a natureza, sábia como sempre. Mandou parar o samba. Ela já sabia que daquele mato não sairia cachorro. Choveu por uns minutos.
Mesmo depois do aviso, teimaram em continuar o samba. Deu no que deu.

Começaram as canjas.
Canjeiros, quando forem dar canja, vejam como está o ambiente, o clima, que estilo musical o grupo toca. Dar canja por dar canja não é legal. Queima o filme de vocês, canjeiros, e do grupo, que não acompanha direito.
Teve gente que cantou e eu não consegui ouvir a música, porque o microfone tava uma merda.
O microfone não estava bom. Era notório. Não custava dar um "alô alô teste" e pedir pra regular o que fosse necessário.
Teve quem cantou e ficou uma merda. Também porque não testou microfone.
Teve gente que cantou e desafinou, que não deveria ser normal, teve quem cantou em tom errado não alcançando certas notas, teve quem esqueceu a letra, teve quem errou a melodia.
Volto a falar sobre o repertório. Canjeiros cantando as mesmas músicas de sempre.
Teve um que chegou a dizer: "Vamos relembrar..."
Relembrar o que, cara pálida? A música cantada nem tinha sido esquecida pra ser relembrada. São as mesmas músicas de sempre.

Grupo, não deixe isso acontecer.
No final, após pagar a minha conta, voltei pra roda e ouvi um pagode modinha. Sabe aqueles pagode modinha? Aqueles cocô disfarçado de música?
Onde o canjeiro estava com a cabeça para cantar um pagode modinha num evento de samba, que era pra ser uma homenagem ao Noel Rosa???
Se eu fosse o responsável pela roda, tirava o microfone da boca dele.

Aliás, quem era o responsável pela roda?
O responsável pelo evento não estava.
Faltou pulso pra comandar a roda de samba. Pra puxar sambas decentes, mandar parar quem estivesse errado, quem estivesse atravessado, exaltar quem estivesse certo, enfim, fazer o clima do samba.
É um samba de graça, na rua, no buteco. Tudo propício pra se fazer uma bela roda. Todos os ingredientes estão ali, mas nada acontece.

Eu disse, antes, que só iria pros sambas por causa da companhia e não pela música.
Hoje, nem pela companhia. Se eu quiser ouvir música fico em casa. Ou vou pra São Paulo.
Sair de casa agora só pra jogar um dominó ou conversa fora.

14 comentários:

Daniel Silva - Estética Musical disse...

hahaha

ótimo relato, cara. mas, como já te disse antes, não precisa ser tão radical assim. vai ter outras oportunidades de presenciar algo legal por aqui. assim espero.

abraço!

André Carvalho disse...

Que situação hein, Artur?

Mario disse...

Tá certo Artur, tem q ser radical mesmo, se não o pessoal ñ se fraga...abç

Luiz disse...

Da próxima vez, faz tu então. Música é música, e sempre tem gente que tá aprendendo a tocar, então não fica te achando porque desafinaram, ou a voz não tava boa, vai lá e faz melhor. O importante é tirar o melhor som possível no momento, pra turma curtir, e azar se não rolou a contento. Canja é canja, ninguém tem que agradar todo mundo. Se UMA pessoa gostou do que tocaram, então valeu a pena.

Artur de Bem disse...

Aprendendo a tocar???
Quando anos tem o grupo que se apresentou?
Quantos anos tem o pessoal que se apresentou?
Aprendendo a tocar???
Já não passou da hora de terem aprendido?

Fazer melhor? Fácil! Difícil é fazer pior!

Zé Pilintra disse...

Porra, mermão... Tu falou certinho aí, mermão...Certinho. Tá uma onda de chupa sangue com esse papo de resgate/homenagem cantando SEMPRE as mesmas músicas - pops - dos malandros. Monte de urubu dando umas bicadinhas no defunto. Correr atrás da obra do cara, estudar e fazer a parada por gosto (não por cash) são poucos que querem (e fazem).




Saravá!

Luiz disse...

Querido, toco a mais ou menos 26 anos, nesses uns 10 pelo sul de Santa Catarina, lugar que aprendi a amar. Tive a grande honra de conhecer Bezerra da Silva. Sua arrogância é revoltante. Música é um som, e todo teu estudo vai ser nada, veja bem, NADA, perto de um talento natural, que de repente aparece dando uma canja malfeita, precisando apenas de direcionamento. Ninguém é melhor que ninguém, e na minha opinião, dar uma canja é uma oportunidade de ouro. As pessoas que querem/precisam aprender a tocar tu INCENTIVA, não despreza. A música é um dom, mas o prazer de tentar é pra todos, não só pra quem acha que é uma pessoa melhor que as outras.

E por falar em aprender, eu dou aulas de violão de graça em Tubarão. E tu, ensina alguém?

Thiago do Nascimento disse...

Musica é musica???? Meu Deus, eu nem deveria colocar Deus nessa conversa. Voce está mais do que correto arthur, musica é um som, isso é mais do que notório. Samba,eu falo de samba, é completamente diferente, vai além de ser musica, ou essas porcarias mal executadas que vemos por ai. E quanto a canja entao,noosssaa...porra dar canja, prefiro comer a canja de galinha que minha querida avozinha fazia. O pior nao é dar canja, e sim dar a canja errada, para se aparecer, achando que está agradando. Estudar música é completamente diferente de conhecer e respeitar o Noel Rosa e o samba. Bem diz o ditado, o samba é de todos mas nem todos sao para o samba. E tá falado.

Fernandinho disse...

Eo bicho pegou...

Mariana Rosa disse...

Artur, tem cachorro neste mato sim. Tem cachorro fazendo samba neste mato há mais de dez anos. Ao longo de sua existência o Grupo Um Bom Partido tem feito investimentos em estudos, aparelhagem e instrumentos, sim. Superando suas condições objetivas, já que não é fácil viver de música no Brasil - e, muito menos, de samba raíz em Florianópolis. Quem se denomina "o samba em pessoa" deveria compreender isso e tratar da questão com mais respeito. Seu texto foi extremamente ofensivo. A crítica é sempre bem-vinda e inevitavelmente destrói, mas há formas mais assertivas de se fazer isso. Como estudante de jornalismo, fã de samba e do Grupo Um Bom partido, fico extremamente decepcionada com sua conduta.

Mariana Rosa disse...

"fácil é fazer pior"?!Pior de todos é você que tá tentando aparecer as custas do Grupo como "o jornalista e sambista fodão" - com o perdão do termo.

Anônimo disse...

"Quem é você que não sabe o que diz? Meu Deus do céu, que palpite infeliz!".
Depois do que li sinto-me tentado em dar-te uma passagem para São Paulo (SÓ DE IDA).
A gnt morre e não vê tudo, francamente...

Mariana Rosa disse...

*"difícil é fazer pior", foi o que eu quis parafrasear acima.

Vinicius disse...

O pior é que tem songbook, coleção com a obra completa do Noel... Ou é preguiça, ou neguninho não tá nem aí pro samba, só quer aparecer mesmo... Se for no google tem songbook com partitura e tudo o mais... Outro dia no orkut rolou um quebra pau por causa do mesmo Noel... Fui falar que neguniho fica enchendo a boca pra falar do Noel, mas não conhece quase nada que o cara fez... foi um barraco só!
Mas é isso aí, às vezes é melhor deizar esse povo pra lá e ficar fazendo um samba direitinho malocado em casa ou num botequinho só com a galera mesmo...
E a tal da canja, nem se fala!
Abraço