domingo, 4 de setembro de 2011

Vou começar a cantar

Num certo fim de semana, eu estava com uma visita de São Paulo e visitei todos os pontos que pude da cidade que tocam samba, pra mostrar pra essa visita o que temos aqui.


Depois de visitar uns 7 lugares, cheguei a uma conclusão: Vou começar a cantar na noite!
Não sou afinado. Mas e daí? Parece que isso não é uma exigência pra se cantar aqui.
Nem ter ritmo. Nem seguir a melodia das músicas.

Interpretação é isso.
Foi fiel à melodia, com uma divisão e entonação perfeitas.

Mudança de melodia, de ritmo, avacalhação com a música é isso.



Não consegui perceber, nas noites de Floripa, nenhuma preocupação em estudar as músicas que se canta, a intenção do autor, o estilo da música (se é samba de roda, canção, partido alto). As tardes de Floripa estão safas da crítica. Baseado no que eu vi, basta ter vontade de cantar. Saber cantar é apenas um mero detalhe.
Foram apresentações pífias. Mesmo as músicas banais, que se cantam há 318 anos, são interpretadas de forma inexpressiva. Aliás, não há interpretação. Há uma mera exposição da música.

Aguardem! Em breve estrearei meu show!

3 comentários:

Vinicius Terror disse...

Pô Artur, como você não gostou? O cara juntou tudo o que tem de melhor na musica brasileira de hoje em dia: Tamborim de escola de samba, violãozinho estilo Seu Jorge, voz de Jorge Vercilo...

KKKKKKKK.....

Abração!

Rodrigo disse...

mas foi em floripa ou são paulo?

Artur de Bem disse...

A crítica é sobre as rodas de floripa...