domingo, 1 de outubro de 2006

Mal informado, mas atualizado

De vez em quando alguém me pergunta: "Tu viu o que aconteceu com o Fulano?"
Penso que se me fez uma pergunta desse tipo, tenho a opção de dizer "sim" ou "não". Sempre digo "não". Após a minha enigmática resposta, vem o espanto: "Como não? É o maior escândalo!", e começa a contar a história.

Eu não entendo porque ficar espantado com a resposta se há a opção de eu dizer não, e se a pessoa vai me contar tudo mesmo.

Eu não vejo televisão, não leio jornal e não escuto rádio. Apesar disso, até que eu sou razoavelmente informado. Sempre tem alguém pra me contar o que acontece no mundo.

E as notícias não mudam. Só muda o personagem e o local. É sempre alguém morrendo por tráfico de drogas, algum político roubando, alguma bomba que explodiu e matou alguns na Palestina, etc...
Até parece novela que sempre tem uma história principal que é a do casal, com um monte de mini historinhas ao redor. E no final eles ficam juntos.
Opinião sobre isso eu já tenho. E é a minha opinião, não a opinião da televisão, rádio ou jornal.

Quando acontecer alguma coisa de novo, ae eu vou ficar feliz em saber.

Analizem as últimas notícias e façam como fez o Casseta e Planeta, que, pelo que eu fiquei sabendo, fez uma brincadeira do tipo assim: uma cartela com propostas de políticos e um monte de velhinho vendo a propaganda eleitoral. "Vou acabar com a pobreza", dizia um político, um velhinho olhava sua cartela e dizia: "Esse eu tenho!".

O mesmo Casseta fez um clip com a paródia de "Cidade maravilhosa": "Cidade calamitosa, quase guerra civil, cidade calamitosa, da escopeta e do fuzil" em 1993 e repetiu o clipe em 2003. "Pra quem não viu o clipe em 1993, vamos repetir". Ao final, vinha uma mensagem: "Se você não viu esse clipe, não se preocupe, vamos repetí-lo em 2013."

É isso mesmo. As notícias não mudam. Não sei o porque do espanto quando surge uma notícia nova. O que é uma redundância, pois se é notícia, é nova. E também uma antítese, pois nenhuma notícia hoje em dia é nova.

E sem notícia, o povo continua cantando: "Foi em Diamantina, onde nasceu JK, que a Princesa Leopoldina, arresolveu se casá..." (Sérgio Porto)

Um comentário:

Carlos Eduardo Nascimento Gomes disse...

Pra quem mora aqui no Rio, como é meu caso, a sensação é de que as notícias seguirão as mesmas em 2023...