terça-feira, 31 de agosto de 2010

Doe sangue!



A Associação dos Sambistas da Grande Florianópolis - Asgflo lança o folder da campanha de doação de sangue.

Em breve, serão impressos cartazes e folders para distribuição.

domingo, 29 de agosto de 2010

Bidu em Floripa!

Bidulino está na área pra visitar os amigos.
Com barba, cabelo e bigode!


Na casa do Dôga, com Fabricio, conversando samba, choro e coisas mais.

Foto: Artur de Bem

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Ginga do Mané ensina choro nas escolas de Floripa

Recebi e-mail do grupo agora pouco. O texto também se encontra no site da Prefeitura.
Pra contrariar Noel Rosa... :)

Com o objetivo de difundir a música brasileira, especialmente o choro, nas escolas da rede pública de ensino, foi criado o projeto Choro na Escola. A iniciativa possibilita aos estudantes e a comunidade, o entendimento dos ritmos, instrumentos e linguagem da música brasileira e ainda o conhecimento de compositores e obras catarinenses e nacionais deste gênero.

O projeto é desenvolvido pelo grupo de choro Ginga do Mané, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis, por meio do programa Escola Aberta. Com seis anos de história, o grupo, é composto pelos músicos Bernardo Sens (Flauta / Coordenação Geral), Fernanda da Silveira (cavaco), Raphael Galcer (Violão 7 cordas) e Fabrício Gonçalves (Pandeiro). No repertório estão as obras dos grandes músicos nacionais como: Joaquim Callado, Anacleto de Medeiros, Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Waldir Azevedo e também dos catarinenses Nilo Dutra, Carlos Vieira, Geraldo Vargas e Bernardo Sens.

O nome Ginga do Mané faz alusão ao choro “A Ginga do Mané”, do grande mestre Jacob do Bandolim. Também faz referência ao jeito florianopolitano de ser, cujo nativo é carinhosamente chamado de “manezinho”.

A primeira apresentação do projeto, acontece neste sábado (28/08), às 14h , na Escola Básica Municipal Gentil Mathias da Silva, no bairro Ingleses, em Florianópolis. A entrada é franca
A importância do choro

O Choro é um gênero musical brasileiríssimo, que arrebata a atenção de qualquer platéia com seus andamentos velozes e vibrantes. Da mesma forma, envolve e cativa a todos com a criação de um ambiente melancólico e sereno, patrocinado por algumas de suas composições mais lentas com seus arranjos sublimes. Não há como ficar indiferente ao choro bem executado.

O projeto possibilita a troca de saberes através de apresentações didáticas envolvendo e cativando os escolares para a apreciação das mais belas composições do gênero Choro.

Sensibilizar a comunidade para a riqueza dos ritmos e músicas catarinenses, difundir a música instrumental e aproximar o brasileiro de sua cultura são os objetivos do projeto Choro na Escola – Educando através da música brasileira.

Serviço
O quê: Apresentação do projeto Choro na Escola
Quando: Sábado (28 de agosto)
Horário: 14h
Local: Escola Gentil Mathias da Silva
Rua Dom José Becker, 986 – Ingleses
Entrada Franca

Imagem: Divulgação

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Prêmio Multishow e Prêmio da Música Brasileira

Queria tentar entender a disparidade entre os premiados nesses dois prêmios, que são considerados uns dos melhores prêmios da música brasileira.

Os regulamentos
No Prêmio Multishow, são duas etapas, e o povo é quem sugere os concorrentes e os premiados.
No Prêmio de Música Brasileira (PMB) (que já foi Prêmio Sharp, Prêmio Caras e Prêmio TIM), os concorrentes são indicados pelas gravadoras, ou pelos próprios artistas, enviando os cds, dvds ou mp3, e uma comissão do Prêmio analisa e escolhe os premiados.

Os vencedores estão mais abaixo. Coloquei somente as categorias que se equivalem, já que o PMB tem muita e o Multishow é mais abrangente.

Não encontrei nenhum vencedor igual.

Aí começam os questionamentos (sem respostas, óbvio):
Será mesmo que é o povo quem escolhe no Multishow?
Seriam os jurados do PMB tão alheios ao que acontece no mundo e com um gosto tão diferente do povo, que não enxergam os artistas que foram escolhidos no Multishow?
Quem são esses jurados?
Nenhum resquício de nome igual. Porque tamanha disparidade dos vencedores?
Esse tipo de prêmio realmente premia o melhor, ou é fachada para agradar gregos e troianos?
Eu não confio.

Uma coisa que me deixou muito fulo no PMB, é a categoria especial, para eleger a melhor interpretação de uma música da Dona Yvonne Lara, homenageada deste ano. As interpretações estão disponíveis no Youtube.

Esse era um dos concorrentes (que nem passou da primeira etapa)


Esse foi o vencedor


Percebam que a batida do vencedor, em momento algum, é de samba e ele altera a entonação de algumas palavras. Além do repertório banal.
Enquanto que o primeiro vídeo tem samba, tem respeito ao compositor (no caso, compositora), cantando na entonação correta da música, e tem um repertório maravilhoso!

Juro que eu não consigo vislumbrar o primeiro vídeo não passando da primeira etapa. Muito menos o segundo como vencedor.
Quem são esses jurados?

Infelizmente, é assim: de pouco em pouco, vão deturpando o samba.
Mas eu prefiro brigar, bater o pé, ser radical, pra manter o mínimo de coerência, colocar o pingo no "i" e defender o bom e velho samba, sem interferência, puro, como deve ser.


Os vencedores
Prêmio Multishow
Música: Recomeçar
Revelação: Luan Santana
Cantora: Ana Carolina
Cantor: Samuel Rosa
Grupo: Banda Cine
Melhor álbum: Maria Gadú
Sertanejo: Vitor e Léo
Instrumentista: Rodrigo Tavares

Prêmio de Música Brasileira
Melhor música: Feita na Bahia - Maria Bethânia (na verdade é de Roque Ferreira, mas isso não foi informado no site oficial)
Revelação: Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz
Voto popular
Melhor cantora: Daniela Mercury
Melhor cantor: Juraildes da Cruz
Canção popular
Melhor cantora: Rita Ribeiro
Melhor cantor: Cauby Peixoto
Melhor grupo: Trilogia
Melhor disco: Zeca Baleiro - O coração do homem bomba ao vivo mesmo
Melhor dupla: Zezé Di Camargo e Luciano
Melhor solista: Yamandú Costa


PS.: A Dona Yvonne Lara, do auto dos seus 89 anos, sentada (e pra quem canta, sabe que é mais difícil cantar sentado, por causa do diafragma), ainda bota todo mundo no chinelo.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Os quatro crioulos, Os cinco crioulos, Rosa de ouro e A voz do morro

Tinha uma dúvida cruel com relação aos grupos Os quatro crioulos, Os cinco crioulos, Rosa de ouro e A voz do morro.
André Carvalho tirou minha dúvida. Segue.

Artur, em 1965 e 1966, Paulinho da Viola, Elton Medeiros, Nelson Sargento, Jair do Cavaquinho, Anescar do Salgueiro, Zé Keti, Oscar Bigode e Zé da Cruz formaram o Conjunto a Voz do Morro (eles lançaram 3 álbuns).

Na mesma época (1965), Paulinho da Viola, Elton Medeiros, Nelson Sargento, Jair do Cavaquinho e Anescar do Salgueiro participaram do espetáculo Rosa de Ouro, ao lado de Clementina de Jesus e Aracy Cortes. Formou-se aí, então, o conjunto Rosa de Ouro.

Em 1967, Elton Medeiros, Nelson Sargento, Jair do Cavaquinho, Anescar do Salgueiro e Mauro Duarte formaram o conjunto os Cinco Crioulos, que lançou 3 discos.

"Os Quatro Crioulos" é um samba de Elton Medeiros e Joacyr Santana que foi gravado em forma de partido alto no disco "Rosa de Ouro"

São 4 crioulos inteligentes
Rapazes muito decentes
Fazendo inveja a muita gente
Muito bem empregados numa secretaria
Educados e diplomados em filosofia
E quando chega fevereiro
Ver os crioulos no terreiro
É sensacional
No dia de carnaval
São figuras de destaque
No desfile principal


No disco "Rosa de Ouro 2" aparece uma nova letra, complementar, após os versos de improviso.

O quinto crioulo
Quase indigente
Rapaz até indecente
Fazendo inveja a pouca gente
Muito mal empregado numa carpintaria
Educado e diplomado na boemia
E quando chega fevereiro
Ver o crioulo no terreiro
É sensacional
No dia de carnaval
É figura de destaque
No plantão policial


Aí, em 1971, numa gravação para uma edição da Abril Cultural (Elton Medeiros e o samba do morro), Elton gravou uma segunda parte no samba.

São 4 crioulos inteligentes
Rapazes muito decentes
Fazendo inveja a muita gente
Muito bem empregados numa secretaria
Educados e diplomados em filosofia
E quando chega fevereiro
Ver os crioulos no terreiro
É sensacional
No dia de carnaval
São figuras de destaque
No desfile principal


Esses 4 crioulos são o orgulho da gente de cor
Só quem os conhece saberá dar um justo valor
Trabalham, estudam, tem o samba por divertimento
Para eles a moral é o maior documento


Pra finalizar a história, em 1990, Paulinho da Viola foi gravar o ENSAIO na TV Cultura e, de surpresa, apareceram lá Elton Medeiros, Nelson Sargento, Jair do Cavaquinho e Anescar do Salgueiro. O programa (que depois virou CD) ficou batizado de "Paulinho da Viola e os Quatro Crioulos".

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Candeia

Em tempo, antes que acabe o dia.

Não tive tempo pra escrever um texto sobre Candeia, o maior sambista de todos os tempos, que nasceu em 17 de agosto, então aproveito os blogs dos amigos para isso.

Leiam! Vale muito a pena!





sábado, 14 de agosto de 2010

Divulgação de eventos



Vocês conseguem perceber alguma diferença?

Duas considerações:
1 - Pra não dizer que estou fazendo propaganda de um e não de outro, estou usando 2 eventos que já passaram (no primeiro, foi somente numa sexta).
2 - Estou falando de novo do Bom Partido não pra pegar no pé, mas por ser um dos únicos poucos grupos que me manda, bem ou mal, um e-mail, semanalmente, com agenda de eventos. E pra evitar o falatório, eu gosto do Bom Partido!

Agora aos flyers.
Não sou especialista em montar flyers. Provavelmente se o fizesse, não faria um tão bom quanto o do Barão.
Mas o flyer do Bom Partido é sacanagem.
Tem tanta imagem, que eu não sei se o show é da Clara Nunes, Bezerra da Silva ou Cartola.
Tem tanta logo, que eu não sei se o nome do grupo é Bom Partido ou Hora Extra.
Tem tanto número que eu não sei qual é o horário, qual é o preço, qual é o telefone de contato ou quem é o patrocinador.
Tem tanta cor, que é difícil encontrar o horário, o dia, o local, o endereço, o nome do grupo, o telefone de contato, o preço, enfim, tudo.
Tem tanto tanto, que é difícil entender.
Além de tudo jogado, a esmo, das informações repetidas e erro de concordância.

Pra não dizer que não falei do flyer do Barão, eu não deixaria o mês com letra maiúscula, colocaria um hífen no dia da semana, tiraria o "s" do horário e a casa decimal do preço.

Sei das dificuldades dos grupos de Floripa em anunciar eventos e outras coisas mais. Sei que não há muito dinheiro, incentivo, essas coisas.
Mas não dá pra passar a vida inteira nesse discurso e algo mal feito não significa falta de recurso ou incentivo.

Até porque, em outra oportunidade já dei umas dicas de como fazer anúncios de eventos. De mão beijada.


Em tempo
Deletando e-mails antigos, encontrei esse folder. Simples, como deve ser.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Novidades!

De volta!!
Depois de férias, e ocupações outras, retorno.

E com atualização da Rádio Alambique, aqui do lado.

Ary Motta, dono da rádio, manda o recado.


Alambiqueiros de todas as Ordens e Castas, encontra-se disponivel a programação de Agosto da Radio do Alambique .Faça uma Visita aqui, e por aqui também. Aproveite e tome uma da Boa, purinha como nosso Samba.

Abraços

Ary