segunda-feira, 20 de fevereiro de 2006

Pré conceito 2

Você que inventou que barba é feio, faça o favor de desinventar.

Tem tanta gente me enchendo o saco por causa dessa bendita barba, que as vezes dá vontade de cortar só pra pararem de encher o saco e não pelos motivos que me dizem.

Mas pensem desse modo: A PORRA DA BARBA É MINHA! SE CONSELHO FOSSE BOM, NÃO SE DAVA!

Mas que coisa. Eu não uso barba pra ficar bonitinho, pra atrair as gatinhas, ou nada do tipo. Aliás, não tem motivo pra eu usar barba, assim como não tem motivo pra ficar sem. E mesmo se tivesse, com tanta gente me enchendo o saco, eu não diria.

O dia que eu quiser tirar a barba eu tiro. Não vai ser ninguém falando que vai ajudar.

E por falar em pré conceito.

Gente! Eu não tenho nada contra roqueiros, nem pagodeiros, então porque que todos tem algo contra sambistas?
Me deixem fazer meu sambinha em paz.

Quando eu chego em algum lugar e digo que sou pagodeiro, uns me olham atravessado e outros se identificam. E vão logo cantando um pagode mela-cueca qualquer pra que eu acompanhe. Ae eu tenho que explicar que eu sou do bom pagode. To até começando a aceitar essa divisão entre Samba e Pagode. E acabo dizendo que sou sambista. Os que tinham torcido o nariz na primeira vez, continuam com o nariz torcido, e os pagodeiros torcem o nariz: "Tu vem pra cá com esses sambas do teu avô, que ninguém conhece!". Pois então aprenda! Porque o samba que eu toco não tem data, não é de época.

Já vocês mudam de música carro-chefe toda hora que muda uma novela, porque a cada novela um pagode novo é apresentado. E quando alguém cogita a possibilidade de tocar essa música de novo, vocês dizem: "Po... essa música já era!" Mas não era boa até ontem?

Pagodeiros de plantão, antes de me criticar ou criticar o meu samba (sim, eu faço samba próprio), ouçam o que eu tenho a dizer. E antes de dizer que eu não entendo de pagode, procurem saber a definição de "pagode", porque o termo "pagode" já era usado desde o tempo do samba do meu avô.
Não sou eu quem vo ensinar pra vocês. Vocês não querem me ouvir mesmo.

O que mais me irrita, é que no final das contas vocês dizem: "Taes certo! Alguém tem que manter a memória dos sambistas." ou "É... esse tipo de samba é bom."

E no final das contas eu digo: "Tem negão que se diz partideiro, mas chacoalha pandeiro que não tem chuá." (Nei Lopes / Ivan Lins / Vitor Martins) Não sabe o que é chuá? Dica: não é aquela música "Eu pisei na folha seca e vi fazer chuá chuá".

Hoje me mandaram um link de um site com oferta de venda do que se dizia ser uma unha do pé de Jesus Cristo e um fio do seu suvaco.

Pasmem! A venda foi efetuada por U$ 100.100,00. Isso mesmo, U$, dólar.

Gente!! Tomem cuidado com o fanatismo! Seja qual for a religião, Católica, Protestante, Igreja Universal, Umbanda, etc, ou religião nenhuma. O fanatismo cega. O amor nada mais é do que ficar muito fã de uma certa pessoa. Fanática por ela. Ter fanatismo por tal pessoa. Daí o ditado: o amor é cego.
Eu inventei tudo isso agora, mas até que faz sentido.

Acho que por hoje chega.

E o povo continua cantando: "Foi em Diamantina, onde nasceu JK, que a princesa Leopoldina, arresolveu se casar." (Sérgio Porto)

PS.: O samba colocado na última postagem não é um samba enredo.

3 comentários:

Risa TrisTa disse...

Como pode o José Wilker viver fora da água fria...
e bla bla bla sem a tua sem a tua sem a tua (senta e dorme...)

hehe

Vamos por partes:

1: Barba. Achei q fica legal em vc. Sério msm. Principalmente se em conjunto com o Black Power ^^

2: Música. Tô contigo e não abro. Aliás, vc tem mais atitude do que a maioria dos "rockeiros" que se dizem muuuuuuito autênticos por aí.

3: Fanatismo. Só uma coisa a dizer: aquilo foi NO-JEN-TO!

Réu disse...

Nermalzinho querido...
Eu continuo nao curtindo axé/pagode e samba, mas mesmo assim eu te aceito, com teus defeitos.

Junior (Trotski) disse...

Falando do fanatismo eu concordo contigo. Todo o extremista é prepotente e todo fanatico é retardado.